TRANSLATE JORPS TO YOUR LANGUAGE

terça-feira, 10 de julho de 2007

Como surgem falsos herois





- Artigo baseado no livro "Coração das trevas" do autor ingles Joseph Conrad -


Ao longo do tempo, as pessoas vêm se habituando a acreditar em idéias, seguir ideologias e acreditar em coisas que elas não conhecem e/ou não tem certeza se realmente existem. Guiados por um sentimento irracional e cego, elas são capazes de “mover mundos e fundos” para poder seguir tais idéias, mesmo que nunca tendo retorno continuam a acreditar.


O livro “Coração das trevas” do autor inglês Joseph Conrad, exemplifica bem como isso facilmente ocorre. No livro, um navegador que se aventura por um rio no meio de uma floresta e a todo tempo ouve historias e elogios sobre um tal “Kurtz”, de como ele era bom nisso ou virtuoso naquilo.


O tempo foi passando e o navegador que antes nunca havia ouvido falar do tal “Kurtz” de tanto ouvir sobre o mesmo começou a acreditar naquelas historias e começou a criar uma expectativa para encontrar o tal homem magnífico. O navegador não o conhecia pessoalmente ou sequer tinha certeza que ele realmente existia, mas já acreditava tanto que sentia que tinha vivenciado aquelas historias ou como se conhecesse o tal “Kurtz”.


No final de sua busca o navegador se encontra com o sujeito de quem ele tanto ouviu falar e de quem esperava tanto. Para sua decepção o tal “Kurtz” já não passava de um velho homem em seu leito de morte. Hoje em dia, milhões de pessoas no mundo inteiro acreditam em diversas historias, lendas, mitos, tabus, heróis e salvadores sem nem mesmo ter certeza que os mesmos realmente existiram.


Em vez de “Kurtz”, as pessoas acreditam, seguem, idolatram, morrem e matam por Jesus, Deus, Alá, Buda, etc. As pessoas já são “programadas” para aceitar tais idéias, regras, ou costumes, pois estariam fazendo isso em nome de um desses “Kurtz” e que no final serão recompensados.


E elas realmente acreditam que tudo seja verdade, mesmo que já se tenha provado o contrario. E se alguém as questionar elas simplesmente dirão que é “fé”. As pessoas nunca questionam as ordens e os ensinamentos dos “Kurtz”, que são passadas de pai para filho de geração em geração e ao longo do tempo vão se espalhando em torno do mundo.


E com isso, ninguém nunca pensa que esses conceitos, essas regras, esses tabus, esses mitos, essas lendas, foram criadas no intuito de fazer com que as pessoas sigam determinados padrões e regras que por sua vez é de interesse de um grupo que age exclusivamente em seu beneficio.
Por causa desses “Kurtz”, o mundo de hoje está cheio de divergências, intrigas, guerras onde às pessoas se matam e morrem, seguem determinadas regras, tem certos pré-conceitos em nome de algo ou alguém que pode nunca sequer ter existido. Talvez se as pessoas seguissem suas próprias idéias e expressassem sua opinião, elas poderiam ser os seus “Kurtz”.





Um comentário:

Nayanne Stephanie disse...

Ótimo artigo.
Parece ser um livro muito interessante...
Isso de "seguir" as idéias da maioria, ter pré-conceitos é assunto que dá pano pra manga! Assim como o questionamento à existência das coisas...
Assunto beeem Nilista! Mas muito interessante.

Gostei das imagens! Muito bem feitas! E é isso ae...continua que tá bom!

Bjo! =*

Postagens populares