TRANSLATE JORPS TO YOUR LANGUAGE

terça-feira, 10 de julho de 2007

Uma analise semiótica da bíblia e das religiões

















As pessoas acreditam, seguem, idolatram, morrem e matam por Jesus, Deus, Alá, Moises, etc. Nunca questionam as ordens e os ensinamentos que são passadas de pai para filho de geração em geração e ao longo do tempo vão se espalhando em torno do mundo.


Com isso, muito dificilmente alguém pensa que esses conceitos, essas regras, esses tabus, esses mitos, essas lendas, foram criadas no intuito de fazer com que as pessoas sigam determinados padrões e regras que por sua vez é de interesse de um grupo que age exclusivamente em seu beneficio próprio.


Fazendo uma analise semiótica dessa situação, podemos constatar que a bíblia, por exemplo, é um símbolo, que só existe porque milhões de pessoas (que são seu interpretamem) acreditam e seguem a mesma, assim como o alcorão e qualquer outro documento ou texto considerado religioso. É necessário lembrar, que dentro desses símbolos existem os signos que são exatamente o que diz e determina cada ensinamento citado dentro desses textos.


Os deuses (Deus, Jesus, Alá, Maomé, Buda, etc) podem ser considerados também como símbolos já que cada livro, texto ou documento religioso se refere a um ou a vários deuses específicos. As pessoas na sua grande maioria seguem conceitos estipulados pelas religiões conhecendo apenas o sentido de cada uma, a grande maioria desconhece o seu significado.


O sentido no caso pode ser o conforto ou a suposta redenção proporcionada pela religião, mas o significado, a certeza de que aquilo é o certo ou se é a verdade absoluta, isso ninguém nunca terá, a menos que algum desses deuses resolvam aparecer por aqui.


O significante no caso seria o que as pessoas imaginam que é verdade, anjos, os próprios deuses, supostos redentores dentre varias coisas que são visualizadas por cada pessoa que acredita em uma determinada religião. Isso gera um sentido diferente para cada pessoa que o interpreta.


A semiótica da paixão se faz presente nessas religiões pelo modo como uma grande parte das pessoas age influenciada ou em defesa dessas religiões. Ao longo da evolução do mundo varias divergências foram criadas, guerras iniciadas, avanços tecnológicos foram atrasados, tudo isso em nome da religião, dos dogmas e regras estipuladas pelas mesmas.


O grande conflito que existe no Oriente Médio, por exemplo, é causado porque um lado segue uma religião e suas determinadas doutrinas e regras e o outro discorda dessas e segue uma religião diferente. Isso gera uma serie de divergências e essas pessoas não conseguem aceitar as diferenças de cada religião e movidos por esse sentimento acabam por se matar em guerras que duram décadas.


Um exemplo mais recente aconteceu em 11 de setembro de 2001, onde Osama Bin Ladden coordenou o atentado as torres gêmeas do World Trade Center em Nova York. Os terroristas, que estavam dentro dos aviões, deram fim a suas vidas e a de outras milhares de pessoas em nome de uma religião.


Chega ser irônico, o fato da religião que deveria ser para justamente unir as pessoas e fazê-las conviver harmonicamente umas com as outras independentemente da opinião, cor, ou credo, provoque tantas mortes e guerras.


As religiões em geral também causam um grande atraso à evolução do mundo. Quantos e quantos cientistas e estudiosos tiveram seus projetos atrasados ou abandonados por temerem a reação que a igreja teria, temendo uma represaria. Hoje em dia, por exemplo, o Papa que é o líder da religião católica, mesmo sabendo de todas as doenças sexualmente transmissíveis existentes é contra o uso da camisinha.


O Papa também é contrario ao uso de anticoncepcionais, e afirma que o sexo só deve ser para a reprodução e não para o prazer e também é contra o uso de células tronco em pesquisas, mesmo sabendo que essas pesquisas podem salvar vidas e fazer pessoas paralíticas voltarem a andar.
A mulher se seguir os ensinamentos da bíblia tem que ser totalmente submissa ao homem dentre tantos outros absurdos que a bíblia prega.


A bíblia é o maior símbolo da religião católica, e está cheia de preconceitos, doutrinas e dogmas que são da idade média e que não se encaixam de maneira alguma no mundo atual. São esses dogmas, doutrinas e preceitos que geram o fanatismo e a interpretação equivocada por algumas pessoas.
As religiões deveriam se atualizar para que tenham mais significado. Enquanto houverem conceitos ultrapassados servindo de sentido para as pessoas, elas continuaram agindo pela emoção e não pela razão.

6 comentários:

Leandro Tetrex disse...

Belo post, eu, como cético que sou, adorei o post pois ele retrata bem como o ser humano é extremamente alienado, manipulado por crendices.

Nos primórdios da humanidade, muitas lendas foram criadas com o intuito de descrever e explicar fenômenos e as vibrações da natureza.

Com um temp, o ser humano cria mitologias sobre diversas entidades através da necessidade do homem pensar que não está sozinho, tudo isso através das emoções e da razão, o que nos distingue essencialmente dos outros seres vivos do nosso planeta.

Depois, houveram adaptações e quantidade de crédulos aumentou.

Assim, pequenos grupos de pessoas no topo da pirâmide social perceberam que seria muito mais fácil manipular as massas através de suas crenças, medos e temores.

Assim, surgem religiões monoteístas que perseguem, matam, causam atrocidades em nome de um suposto deus único e colocam a culpa de tudo em supostos demônios.

Hoje em dia, surgem grupos fundamentalistas que seguem "ideais" extremos com base em religiosidade no qual consideram como verdade absoluta e desta maneira matam e nome de "deus".

No fundo, o que está por trás disso é apenas a ganância, a usura para permanecerem no poder e deixar os menos favorecidos apenas manipulados, ou então tentando conquistar o poder através do terror.

Não sei quem é mais hipócrita e ganancioso, o cristão George W.Bush ou o islâmico Osama Bin laden.

O mundo sempre teve um unico mal, o grande problema do mundo é a raça humana.

dany disse...

Acredito que o grande "problema" das religiões é que elas conseguem "cegar" uma grande parte das pessoas, causando uma dependência e, talvez por isso, religiões como a católica tenha tantos adeptos, devido ao "conforto" (como você mesmo citou) que levam à esses adeptos e, quando você diz "As religiões deveriam se atualizar" penso que seria algo complicado, porém, de repente, necessário, mas que dificilmente as igrejas fariam, porque elas prezam pela tradição, e talvez tenham receio de se atualizar e perder parte dos seus "cordeirinhos",mesmo percebendo que seus adeptos não seguem boa parte dos princípios, como no caso da Igreja Católica (não usar anticocepcionais, camisinha, sexo somente para reprodução, logo,esses seguidores fingem que acreditam em algo que elas não seguem, o que, ao meu entender, caracteriza-se hipocrisia...
Vai entender....

Giuliana disse...

como acadêmica na área de semiótica e conhecedora de um mínimo da religião cristã, tive de fazer o seguinte comentário: esse post é lamentável. antes de criticar ou mesmo dissecar uma área tão grande e complexa como a religião, é necessário saber o que se está colocando debaixo do microscópio. saber manusear bem as pinças também vale.
estarei ansiosa para voltar a ler sua opinião quando você souber manusear melhor a semiótica e olhar a religão com olhos mais racionais e imparciais.
lembre-se: dentro da razão, não cabe juízo de valores. sua análise foi infeliz por estar contaminada de opinião contrária ao assunto abordado. e isso é bem diferente de crítica.

POSSILGA disse...

Giuliana

Então, você achou meu post lamentavel certo? Pode me dizer o por que? Pelo que você escreveu não deu para que eu podesse identificar tal motivo. Esse texto eu escrevi quando estava no 6ºperiodo de jornalismo, para a diciplina Semiotica. Realmente o texto é de certo modo opinativo, até porque eu não sou formado nem faço o curso de semiotica,mas eu me basiei na Semiotica, tanto que usei argumentos da mesma. E digo mais, você não estaria sendo movida por um sentimento de repudio, justamente pelo mesmo fato que eu abordo no texto, que é por eu de certo modo falo mal das religiões e você automaticamente já se sente ofendida, o que no meu modo de ver remete a semiotica da paixão. Como eu disse, não sou academico e nem sou formado em semiotica, reconheço que só tive a diciplina durante o 6º periodo, más estudei nastante sobre o assunto. Posso estar redondamente enganado, mas esse texto foi aprovado pela mi nha professora na epoca que se não me engno é doutora em semiotica.

PedroCavalcante disse...

Então, como um texto comum, achei muito bem construído, mas não como semiótico. Acima de tudo para ter embasamento coloque citações ao trabalhar um texto baseado em uma metodologia. O texto é semiótico com análises pré-formuladas e seu texto está carregado demais de impressões pessoais. Não sou contra dar sua opinião, mas ao dá-la fale somente por si mesmo e não pela semiótica. Continue!!! abraço!

Samuel Fagundes disse...

Pedro; Então, esse texto é de 2007, na época e cursava Faculdade Comunicação Social/Jornalismo. Esse texto foi construído sim com impressões pessoais, mas também embasado no que aprendia e assimilava nas aulas de semiótica que tive, por apenas um período (6 meses) e obviamente não me dá total entendimento sobre semiótica. Porem, vale constar, que na época o texto foi aprovado com nota 8, sendo a máxima 10. A professora, tinha o titulo de Doutora em semiótica, então acredito que sua avaliação pode ser considerada confiável. Mas de qualquer maneira, muito obrigado por ler e comentar meu blog !!!

Postagens populares