TRANSLATE JORPS TO YOUR LANGUAGE

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

SONS DO BRASIL – CONHEÇA A BANDA AGRESSIVOS


A banda Agressivos foi formada no ano de 1997 em Salvador (BA), mas o primeiro show da banda aconteceu em 1998. Atualmente compõe a banda Badu Bessa na bateria e back vocal, Jadson no baixo, Junior na guitarra e Wendel no vocal.

- Nosso primeiro show foi em 1998, não gostava da idéia de tocar sem ter um repertório bem feito. Uma semana antes desse primeiro show, o nosso baterista, Sopão, saiu.  Por sorte, havíamos conhecido Urso há uns dias atrás e como tocava bateria ensaiamos a semana toda com ele. Foi o cara que segurou durante muito tempo a bateria da Agressivos, mas infelizmente por problemas de saúde teve que sair da banda. Após alguns testes desistimos de procurar um novo baterista e quem assumiu foi Badu, que sempre acompanhou nosso som, desde o inicio e eu espero que não saia enquanto houver vida. Junior, atual guitarrista, era baixista e deu lugar a Rafael, que por sua vez deu lugar para Jadson que hoje assume com responsabilidade e habilidade o instrumento. Junior conhecia a banda desde o inicio e entrou no lugar do nosso primeiro baixista, Luciano, depois fez dupla com o Humberto que também tocava guitarra.  Este último foi quem juntamente comigo formou a banda e composições, mas teve que sair, sem falar em Josias, o guitarrista fantasma, que sumiu da banda.  Hoje, temos apenas Junior que é uns dos melhores guitarristas que conheço. – Conta Wendel.

O INICIO
O vocalista diz que é muito complicado ter uma banda de rock em Salvador (BA), cidade que é mundialmente conhecida como a terra do axé e do carnaval. Segundo Wendel, a maior dificuldade é tocar sem receber nada, pois bandas tem gastos com a manutenção dos instrumentos, com os ensaios, transporte, etc.

- Existem muitos estilos a se tocar, mas aqui tem muitos radicais que acham que o metal não pode ser juntar com o core, que não pode tocar com pop e não pode tocar com heavy. Eu nunca entendi muito essas coisas. No inicio eu me sentia um Headbanger, andava com meus amigos pela noite a fora, bebendo e ouvindo death, black, heavy, doom, ouvíamos a noite toda, mas entre nós existia por exemplo, o punk,  o que ia para shows de axé, outro que gostava de Madonna e mesmo assim todos eram considerados. Quando resolvi aprender a tocar um instrumento, foi com Humberto que aprendi os primeiros acordes, em torno de 1996 para 1997, achei que deveria fazer música extrema, que sempre foi a minha preferência, e pudesse passar uma mensagem onde todos entendessem no ato. A cena em Salvador estava muito boa, várias bandas e vários festivais rolando solto, inclusive a atual Pitty fazia parte disso com sua banda Inkoma. Então, eu na guitarra e Luciano no  baixo ficávamos ensaiando com uma caixa amplificada dentro de casa zuando toda a vizinhança (risos). Como a gente já tinha umas 10 músicas e queríamos por outra guitarra chamei Humberto, que não tinha instrumento, então o deixei na guitarra e me dediquei ao vocal apenas.  A grande dificuldade é tocar sem ganhar nada! Tem que manter instrumentos, ensaios, transporte e muitos desistem. Já vi muita banda de estrela que atualmente não tem um para contar a história. Tocamos em muitos lugares que não dão o mínimo necessário para que o som aconteça legal, que é o próprio aparato de sonorização, muitas vezes tocamos apenas pra não fazer desfeita, andamos seguindo porque fazemos pelo som é o que gostamos e a nossa vida! Eu sempre fui o chato da banda, o que mantém o contato, o correria, entretanto hoje posso dizer que faço parte de uma banda onde somos uma unidade, cada um expõe sua opinião e todos chegamos a um consenso. – Diz Wendel.

O NOME
Wendel explica que ao escolher o nome da banda, pensou em algo relacionado a força e ao tipo de música que fazem. Segundo ele é uma homenagem a época que saia com seus amigos, e viajavam com o violão na mão, e fazendo um som, e daí surgiu o nome Agressivos.
  
ESTILO MUSICAL
Para Wendel, falar sobre as influências da banda é complicado os gostos musicais de cada integrante são diferentes em alguns aspectos. Mas ele ressalta que no as maiores influencias vem da musica extrema.

- Death, grad, grind, trash, pop, melódico, core, pesado, leve, bonitinho, feião (risos). Ouvimos um pouco de tudo que rola no mundo rock alternativo e quase temos as mesmas opiniões, temos uma visão ampla sobre música e para exercitar a criatividade devemos aceitar as tendências e o que rola de novo na cena. Fazemos musica de coração e alma, porque independente do nosso "estilo", é uma coisa que fazemos para e pelo som. A nossa satisfação em subir no palco e tocar vai além de definições e limites, desse ou daquele estilo musical. A nossa definição em palavras pode significar algo estranho, sempre dizemos que nossas músicas parecem uma confusão generalizada e começa quando subimos no palco e termina quando descemos (risos), e seguimos desgovernados como uma carreta bi-trem, sem freio e descendo uma ladeira (risos). Temos muito de core e metal, mas, as definições deixamos para os que nos ouvem, pois cada música tem uma história. – Ressalta o vocalista.

PROCESSO DE CRIAÇÃO
Falando sobre o processo de criação, Wendel diz que não existe um padrão, e a maioria das coisas foram vivenciadas por ele, mas cada integrante da banda tem a liberdade de inserir idéias e também de compor. Ele conta que algumas vezes, amigos e pessoas que seguem a banda, escrevem algo ou criam alguma melodia e passam para a banda, que segundo Wendel, faz a sua parte adicionando o ingrediente “Agressivos”.

- Geralmente, tiramos ensaios para momentos criativos onde brincamos muito e fazemos o som sem “nóia”. Isso acaba sendo um agente facilitador para criarmos. A inspiração vem da vida, da história do nosso cotidiano, das palavras que ouvimos, das lamentações de um povo alienado, da dúvida humana sobre sentido da nossa existência, das nossas limitações como mortais, da liberdade que não existe. – Afirma Wendel.

TRABALHOS GRAVADOS
A banda Agressivos atualmente está na faze final para o lançamento do 1º CD depois de 13 anos de existência. Wendel diz que o disco está sendo produzido com muita atenção.

AGENDA
30/01/2010 - Pelourinho Rock Celebration – Pelourinho, Salvador (Bahia).

CONTATOS
Telefones: (71) 9157-9674 / (71) 8876-9674

- Se estão precisando de um energético, o mais indolor de todos está a sua espera, vocês só precisam ficar expostos a uma dose de agressão diária e pronto! Estarão sempre com olhos bem abertos e sempre dispostos a encarar qualquer desafio! Não há contra indicações e é recomendado para pessoas com tendência a ouvir som emo, pagode, sertanejo, axé e músicas com baixo teor de idéias conscientes. Após algumas doses irá ter certeza se seu destino é realmente ser rocker ou viver sobre o manto dos produtos impostos pela indústria cultural dominante! Acessem nosso myspace e procure nosso perfil e comunidade no Orkut. Agressivos for life! – Wendel, vocalista da banda Agressivos.

Um comentário:

Joveline Araújo disse...

Esta é uma das melhores bandas do cenário rock daqui de Salvador fazem um som do caralho meninos super profissionais parabéns pela reportagem!

Postagens populares