TRANSLATE JORPS TO YOUR LANGUAGE

segunda-feira, 11 de junho de 2012

JORPS ESPORTES - 4ª EDIÇÃO


E chega mais um Jorps Esportes, nesta edição comentamos o desempenho de Cruzeiro e Atlético (MG) após a 4ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2012. Aproveito para dizer aos leitores do blog, todos os 15, que o espaço esta aberto para sugestões, criticas e comentários a respeito dos textos. A opinião de todos é muito importante e nos ajuda a aprimorar o Jorps Esportes. Seguem abaixo, os textos sobre o Cruzeiro e Atletico (MG), não necessariamente nesta mesma ordem.


UMA VITÓRIA CONTRA O APITO AMIGO. - Por Eurico Santos Silva

Em uma noite fria na capital paulista pouco mais de 7 mil pessoas acompanharam a vitória de 1 a 0 do Galo mineiro sobre o Palmeiras. A partida foi valida pela quarta rodada do Brasileirão 2012.

A ESTRÉIA DE RONALDINHO GAÚCHO 49
Em noite de sábado, gelada, cerca de 2 mil atleticanos marcaram presença para ver o triunfo atleticano sobre a equipe paulista. A grande expectativa da noite era para a estréia de Ronaldinho com a camisa alvinegra. Após tumultuada saída do Flamengo o penta campeão e ex melhor do mundo finalmente foi a campo com a camisa do Galo. Cercado de jornalistas e da pergunta: "Ronaldinho ainda pode jogar em um bom nível?” Vejamos como foi o confronto.

1º TEMPO DE MUITA MARCAÇÃO
O palmeiras iniciou melhor a partida, nos primeiros quinze minutos a equipe comandada pelo técnico Felipão esteve melhor postada em campo. Com uma melhor marcação e presença ofensiva. Mas depois disso o Galo encaixou seu sistema de jogo e dominou a partida até o final.

Com uma marcação muito boa, com Danilinho e Bernard aberto pelas pontas, prendendo as subidas dos laterais palmeirenses e com Richalysson em noite inspirada e Pierre impecável o galo logo ficou senhor da partida. O time partiu para cima do adversário, por vezes o encurralando. O gol só não saiu no primeiro tempo porque Bernard perdeu duas claras chances de gol.

Na primeira delas, o lateral Marcos Rocha, o nosso "zumbi esfomeado", fez uma coisa diferente do seu normal; ACERTOU UM LANÇAMENTO! Um milagre! O leitor me perdoe as palavras, mas foi isso mesmo, um milagre! Bernard apareceu sozinho contra o gol do goleiro Bruno, mas errou o chute. Na segunda oportunidade, Danilinho lançou o jovem meia atacante, que cara a cara com o goleiro finalizou para fora.

Os sistemas defensivos dos dois times deram um tom de um primeiro tempo quase sonolento e frio como a noite paulistana. Mas entre carrinhos, roubadas de bolas e faltas, jogou o Ronnie 49.

Não fez um bom primeiro tempo, mas só de estar em campo impõe o respeito dos adversários. Usou de sua conhecida classe para dominar bolas, tentar fintas e fazer passes certeiros. Era o líder que o time estava precisando, era a figura, a referencia que o time de Cuca necessitava para impor respeito nos adversários. Tanto que Marcio Araújo, volante, foi encarregado de perseguir Ronnie onde ele estivesse.

EU QUERO JÔ, EU QUERO GOL
Na segunda etapa, só deu GALO. E logo aos 3 minutos, o time transformou seu melhor volume de jogo em gol. Bernard escapou pela direita e cruzou para Jô "Balada" fuzilar de cabeça e marcar o gol atleticano.

Novamente em ótima partida, Jô não perdoou e fez a festa da torcida. No segundo tempo Ronaldinho voltou mais elétrico deu passe magistral para Jô marcar, mas o juiz caseiro anulou o gol, alegando falta de "Balada" sobre o zagueiro Palmeirense, que não existiu. Depois do gol, o GALO criou outras oportunidades de gol. E os fez... mas não contava com o..

APITO AMIGO E O TEMIDO KID BENGALA
A partir daí o que se viu no Pacaembu foi um assalto a moral e bons costumes. Após a anulação do gol de Jô, o Galo foi novamente garfado. Ronnie cobrou falta, o goleiro Bruno bateu roupa e Rafael Marques, em condição legal chutou para as redes mas o bandeirinha viu impedimento que não existiu.

Para piorar, o fraco juiz, começou a inventar faltas na intermediaria atleticana e próxima da grande área. A maior arma ofensiva do Palmeiras, é a bola parada cobrada sempre por Marcos Assunção, o nosso Kid Bengala cover. O juiz tentou de todo jeito dar uma mão ao ineficiente palmeiras e suas tentativas inofensivas de chegar com perigo ao gol atleticano. Em duas faltas quase Kid Bengala marcava o gol de empate. Por duas vezes o travessão ajudou o GALO. O empate seria injusto e a cima de tudo um roubo.

JOGADOR DA PARTIDA: GENERAL REVER
Rever esteve um monstro em campo. Seguro como uma rocha, não perdeu uma jogada se quer contra os palmeirenses. Sempre firme e concentrado foi o pilar do sistema defensivo atleticano, que só levou 1 gol em 4 jogos do Brasileirão. Todo o sistema defensivo do GALO merece aplausos. Inclusive a marcação que se inicia com Bernard e Danilinho. Fora as duas faltas batidas por Marcos Assunção, aos 39 e 41 do segundo tempo, o Palmeiras não incomodou o arqueiro alvinegro. Rever foi um capitão digno e deu raça ao time.

PIOR DA PARTIDA: LUAN: O INVISÍVEL
Que os palmeirenses me desculpem, mas não vi o Luan em campo. Esse que é considerado um bom meia por muitos, não me convenceu pois parece que nem entrou em campo. Se limitando a uma tentativa de cruzamento ali ou uma arrancada infrutífera acolá.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
 O Galo jogou bem e mostrou que vai dar trabalho neste brasileiro. É um time cascudo, forte na marcação e consciente no que faz em campo. Ronaldinho deu qualidade ao meio campo e Jô "Balada" é de longe uma excelente surpresa. Domingo dia 17, o time enfrenta o São Paulo no Morumbi, pela 5ª rodada do certame. Já o Palmeiras, coitados, precisa melhorar muito o time, para ser considerado fraco. O time é muito limitado. Valeu pelos 3 pontos, mas fica aqui o protesto contra o apito amigo, que não volte a acontecer. E que venha os "bambis". Jô neles! 

======================================================

2ª VITÓRIA - Por Samuel Fagundes

O Cruzeiro consegue sua segunda vitória seguida e mais uma vez, fez dois tempos distintos e assim como na partida contra o Botafogo. Não fez um bom primeiro tempo, mas jogou muita bola na segunda etapa. Fizemos um jogo melhor, mas ainda é necessário aprimorar certos pontos como a pontaria do ataque. Desta vez o time soube marcar bem, porem faltou aproveitar as várias chances criadas, pois poderíamos ter feito mais gols e ter uma conquista mais tranqüila.

1° TEMPO
O primeiro tempo do jogo entre Cruzeiro e Sport, foi muito fraco, o time celeste até criou boas oportunidades, mas foram todas desperdiçadas. O Sport se propôs jogar na retranca e a principio, nosso ataque não conseguia furar essa defesa.Wellington Paulista não conseguiu produzir nada em campo e quando teve a oportunidade, chutou errado quando teria que tocar e passou errado quando deveria chutar. O Fabinho, que no jogo contra o Botafogo se apresentou muito bem, se mostrou um tanto quanto nervoso quando teve a bola no pé. Destaque positivo para o craque Montillo, que "para variar" mostrou a raça de sempre e criou várias oportunidades.

2º TEMPO
Já no segundo tempo o Cruzeiro voltou melhor, atacando mais e impondo o ritmo do jogo. Wellington Paulista finalmente fez boas jogadas e o Fabinho já não demonstrava nervosismo e então passou a render mais em campo. Com a saída de Tinga e entrada de Anselmo Ramon, o Cruzeiro, ficou com três atacantes e fez uma pressão muito grande no Sport, tanto que aos 25 minutos, após uma boa jogada de Everton, que parece ter resolvido jogar bola depois do gol contra o Botafogo, Paulista bateu pênalti e fez o gol que nos deu a vitoria. Imagino que o ex técnico do Cruzeiro, Vagner Mancini, que por várias vezes tentou jogar com três atacantes e não conseguiu resultado, deve ter se surpreendido com a pressão que o Sport levou após a entrada de Anselmo Ramon.

O time vem bem, estamos invictos  no campeonato e começamos a nos aproximar da ponta da tabela. Ainda acho que faltam atacantes e inclusive não entendi por qual motivo Celso Roth não colocou Wallysson nem no banco de reservas. É um jogador muito talentoso e com identificação com a torcida, merece ter sua chance nesse time que apesar de estar jogando bem, ainda precisa melhorar a pontaria do ataque. Anselmo Ramon, que jogou bem, tem de treinar finalizações, um jogador o Cruzeiro não pode perder a quantidade de gols na cara que ele perde.

PRÓXIMO JOGO
No próximo jogo, 16/06/2012, jogaremos contra o Figueirense, o Cruzeiro depois de muito tempo volta a Belo Horizonte e eu acredito que isso vai fazer com que o time jogue melhor, pois alem de contar com maior apoio da torcida, o novo Independência aparenta ter ficado muito bom, tanto nas arquibancadas como os gramados e o próprio estádio no geral. Então, que o Cruzeiro continue evoluindo e  jogando cada vez melhor para que assim possamos chegar ao topo da tabela, que é o nosso lugar.

Nenhum comentário:

Postagens populares